Nascida e criada em Belo Horizonte, Cíntia Chagas possui formação em Letras pela UFMG. A professora, depois de ser DEMITIDA de 10 instituições devido ao seu jeito peculiar de lecionar (baseado em recursos mnemônicos diversos, como paródias de músicas -funk da crase, sertanejo da conjunção- piadas, contação de casos, teatro) resolveu abrir o próprio curso pré-vestibular de REDAÇÃO em 2008, o Curso Cíntia Chagas Língua Portuguesa, que hoje é o mais procurado, na capital mineira, por estudantes que desejam ingressar nas faculdades de MEDICINA. E o índice de aprovação do pré-vestibular da professora chega a noventa por cento. 

Cíntia Chagas ficou conhecida nacionalmente devido ao AULÃO Solidário que realiza nas baladas, em que ela fecha casas diversas, como a conhecida Woods, e faz revisões, na véspera do ENEM, para os alunos do próprio cursinho, cobrando apenas donativos para uma ONG de Belo Horizonte. Com esse aulão, ela se tornou capa do G1, destaque do Jornal da Globo, do Jornal Nacional e do programa The Noite, do apresentador Danilo Gentili. 

Depois disso, a professora também fechou um cinema de SP para fazer um aulão solidário para os seguidores paulistanos, evento que também foi destaque na Globo, no SPTV. O último aulão dela foi também solidário, na academia Cia Athletica, de BH.

A atuação de Cíntia Chagas no INSTAGRAM, rede em que possui mais de 170.000 seguidores reais e selo de VERIFICAÇÃO, também foi um fator determinante na popularidade da professora. 

Hoje, multiplataforma, além de divulgar vídeos bem-humorados sobre a língua portuguesa no Instagram, a professora ministra aulas no próprio curso, é colunista da RÁDIO JOVEM PAN em São Paulo e dá PALESTRAS e WORKSHOPS, em todo o Brasil, para empresas do mundo corporativo e para instituições de ensino. 

Ela lançou, em outubro de 2018, o seu primeiro LIVRO (que ficou em primeiro lugar geral na lista de mais Vendidos da Amazon e foi para a segunda tiragem 16 dias após o lançamento), “Sou péssimo em português”, pela renomada editora Harper Collins. Nessa obra, Cíntia aborda, por meio de histórias hilárias e autobiográficas, erros de português que as pessoas mais bem preparadas cometem no dia a dia. De acordo com Pe. Fábio, que assinou o prefácio, o livro tem “PROTAGONISMO DIDÁTICO”. Ainda sobre o livro, a jornalista Leda Nagle, que assina um dos comentários, afirmou que as histórias escritas por Cíntia Chagas trouxeram mais intimidade dos leitores, que se tornam alunos, com as regras do bom português.

Agora, Sou Péssimo em Português transformou-se no PRIMEIRO STAND UP COMEDY DE PORTUGUÊS DO PAÍS! E, como se não bastasse tudo isso, a professora foi a primeira educadora de língua portuguesa no Brasil a utilizar os STORIES do INSTAGRAM para ministrar cursos de português. O sucesso foi tão grande que se tornou assunto até da ISTO É GENTE.

Fica, então, a pergunta:
O que mais a divertida professora vai criar para democratizar o ensino da Língua Portuguesa?
Aguardaremos ansiosos.

NA MÍDIA